Perfil

Baiano de 1,84m que chegara a pesar 180 quilos, ajudara na organização dos desfiles das escolas de samba, do carnaval carioca, desde quando eram realizados na Av. Rio Branco, Presidente Vargas e por último na Marquês de Sapucaí.

Trabalhou na Secretaria de Turismo como prestador de serviço e mais tarde trabalhou na Riotur, onde permaneceu por 15 anos.

Com sua ousadia e criatividade o Mestre Candonga tomara-se guardião da chave oficial da cidade, que ele mesmo mandara confeccionar.

Com mais de 40 anos de carnaval Candonga foi responsável pela fiscalização e organização das baterias das escolas de samba durante os desfiles. Sempre pronto a dar uma toalhada em quem viesse atrapalhar o desfile.

O Mestre foi tão respeitado, que era a única pessoa autorizada a circular na Sapucaí sem credencial, a levar engradados de cerveja, refrigerante e água mineral para a passarela do samba, servidos em copo de vidro e, ainda, era a único a estacionar seu carro, no "recuo da bateria".

No dia 27/03/97 nosso guardião não resiste a doença que vinha consumindo este guerreiro. José Geraldo de Jesus, aos 77 anos falece de Câncer no estômago. Assim o destino se encarregou de nos tirar esta alegria contagiante, esse peso pesado de simpatia, generosidade e humildade.