Notícias

Instituto Candonga entrega mais de 10 mil quentinhas​

O Instituto Cultural Candonga, a empresa de tecnologia Investiplan e o Bar do Beto finalizaram na segunda-feira, dia 20 de abril, a entrega de quentinhas para a população carente do Rio de Janeiro. O mutirão beneficiou a 10.242 pessoas – moradores de rua e gente que não conseguiu mais ter renda. Os alimentos que sobraram foram doados a um abrigo de crianças em Guaratiba.

A primeira fase do projeto #JuntosNaDistância começou em 25 de março e passaram por comunidades como Rocinha, Complexo do Amarelinho e Vila Vintém. No cardápio variado, do tradicional arroz à jardineira, ao bom e velho arroz, feijão, carne e legumes, com direito ainda a penne com ragú de linguiça.

Voluntários do Instituto Candonga foram pras ruas distribuir as quentinhas, que foram produzidas no Bar do Beto, em Ipanema. A Investiplan cedeu o galpão para armazenamento dos insumos e os carros da empresa para o transporte do material e a entrega.

O projeto passou também pela Praça da Cruz Vermelha, Lapa, Avenida Presidente Vargas e Central do Brasil, no Centro do Rio; além das Comunidades da Rocinha, do Pavão, Pavãozinho e Cantagalo, na zona sul; do Viaduto Negrão de Lima, em Madureira; da Comunidade Para-Pedro, em Irajá; entre outros.

União e solidariedade

Paulo Afonso Trindade, presidente do Grupo Investiplan, conta que a empresa já participa de diversos projetos sociais e não poderia deixar de participar de mais esta ação. “A Investiplan doou grande parte dos recursos. Também entramos com funcionários e veículos para a distribuição. Conseguimos reunir uma rede de empresários amigos, que doaram recursos financeiros, bebidas e alimentos para a confecção das quentinhas”, destaca.

A lista de doadores e notas fiscais serão divulgadas aqui no site, até o dia 20/05/2020.

“Estamos exaustos, mas muito felizes com o resultado. Não tem nada mais gratificante na vida do que ajudar aos nossos irmãos que sofrem nas ruas ou em casa, mas sem ter como trabalhar e levar um alimento para a família. O sucesso dessa primeira fase nos fez sonhar com outros planos, que, se Deus quiser, vamos realizar”, disse Mauricio de Jesus, presidente do Instituto Candonga.